Romenos protestam contra plano de austeridade

       BUCARESTE - Dezenas de milhares de pessoas se manifestaram nesta quarta-feira em Bucareste contra as medidas de austeridade aplicadas pelo governo de centro-direita da Romênia, que serão submetidas à tarde a uma moção de censura da oposição.

Mais de 20 mil pessoas, segundo a polícia da capital, e 80 mil, de acordo com os organizadores, protestaram contra o plano drástico aplicado em julho, que inclui uma redução de 25% do salário dos funcionários públicos. "É muito difícil viver com este salário", disse à AFP Anna, auxiliar sanitária de Timisoara (oeste), que com 20 anos de idade ganha 1.000 lei (235 euros) mensais.

"Não é possível viver assim. O governo precisa cair", estimou Tudorache, funcionário da prefeitura de Bucareste e pai de três filhos, cujo salário diminuiu de 800 lei (188 euros) a 360 lei (84 euros).

Os manifestantes planejam esperar diante da sede do Parlamento o resultado de uma moção de censura apresentada pelos três partidos de oposição: os social-democratas (PSD), os liberais (PNL) e os conservadores (PC).

Segundo a oposição, as medidas tomadas pelo executivo "atrasam a saída da recessão da Romênia". O primeiro-ministro, Emil Boc, defendeu seu plano, mas disse "compreender os manifestantes".

Após anos de forte crescimento econômico, a Romênia entrou em recessão em 2009. Para sair da crise, recebeu ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia.