Ibovespa ignora cena externa e sobe 1,67% com Petrobras

Apesar da volatilidade observada nas principais praças acionárias mundiais, o Ibovespa conseguiu firmar-se em campo positivo, ignorando os receios externos. O bom comportamento das ações da Petrobras sustentou o dia de ganhos. Com isso, o índice acionário subiu 1,67%, aos 70.740 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 7,030 bilhões. O desempenho dos papéis da estatal petrolífera no Ibovespa se contrapôs durante o dia ao recuo do petróleo no mercado internacional. Para Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora, "os investidores 'bateram' tanto no papel nos últimos tempos que agora abriu ponto de compra", disse, considerando que não houve notícia relevante sobre a companhia. As ações da Petrobras (PN) terminaram em alta de 5,20%.

Em outra direção finalizaram os papéis de empresas do setor siderúrgico. O resultado trimestral da Arcelormittal, segundo Galdi, foi o motivador para os agentes desmontarem posições. Apesar do lucro da empresa ter crescido 48% no terceiro trimestre, a Arcelomittal comunicou que a demanda para o resto do ano é incerta.

Com isso, as ações da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) (ON) desceram 1,62%, da Usiminas (PN) caíram 0,34% e da Gerdau (PN) diminuíram 0,09%. Já os papéis da Vale (PNA) tiveram crescimento de 1,44%.

No âmbito internacional, embora os indicadores tenham vindo positivos, a cautela prevaleceu. Para o analista da SLW Corretora, os mercados operam voláteis em meio as expectativas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) deverá lançar no início de novembro um pacote para estimular a economia norteamericana.

Na agenda do dia, o Reino Unido informou ter registrado acréscimo de 0,8% no Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre deste ano. E nos Estados Unidos, a confiança do consumidor avançou para 50,2 pontos em outubro, contra 48,6 pontos no mês anterior. Além destes, a atividade manufatureira de Richmond cresceu para 5 pontos em outubro deste ano, ante resultado negativo de 2 pontos no mês passado.