Inflação para a baixa renda sobe menos que a geral em setembro

       RIO - A inflação dos produtos voltados para a baixa renda elevou-se menos do que o medidor geral inflacionário em setembro. Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgado nesta terça-feira, o Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (ICP-C1) variou 0,42%, 0,04 ponto percentual menos que o Índice de Preços ao Consumidor no Brasil (IPC-BR).

No entanto, no acumulado do ano o IPC-C1 ainda é superior ao índice geral, acumulando 4,18% frente a 3,82% do IPC-BR. A diferença também é vista no acumulado dos últimos doze meses, com o IPC-C1 em 4,41%, 0,05 ponto percentual superior à inflação.

As principais elevações do IPC-C1 foram vistas nos setores de Alimentação (-1,19% para 0,56%), Vestuário (-0,08% para 1,44%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,02% para 0,71%), Despesas Diversas (-0,07% para 0,10%) e Habitação (0,20% para 0,21%).

O único setor a variar negativamente foi Educação, Leitura e Recreação (0,07% para 0,00%), enquanto Transportes permaneceu estável.