Bolsas europeias fecham sem direção comum

SÃO PAULO, 1 de outubro de 2010 - Os principais índices acionários europeus encerraram a sexta-feira sem direção definida. Apesar de indicadores positivos, o movimento vendedor prevaleceu, incentivado pela instabilidade das bolsas norte-americanas e pelos temores quando a situação fiscal de países europeus.

Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, subiu 0,59%, aos 5.581 pontos, o CAC-40, de Paris, recuou 0,62%, aos 3.692 pontos. O DAX, de Frankfurt, teve desvalorização de 0,41% aos 6.203 pontos.

Para Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros, os investidores olharam com atenção a movimentação das bolsas dos Estados Unidos. "Os agentes acompanharam o humor dos Estados Unidos, cujas bolsas apresentaram instabilidade e por isso acabaram não definindo tendência", ponderou.

Monteiro acredita também que a situação fiscal dos países europeus ainda preocupa. "Se vierem outros rebaixamentos de rating, talvez a coisa pode piorar por lá", afirmou.

A agenda econômica do continente mostrou que o Índice Gerentes de Compras(PMI, sigla em inglês) do setor manufatureiro da zona do euro cresceu para 53,7 pontos em setembro, porém o crescimento foi menor do que o registrado em agosto, de 55,1 pontos do mês anterior.

Além disso, o índice de desemprego registrado em agosto, na zona do euro, ficou em 10,1%, taxa estável em relação ao mês anterior. Por fim, as vendas nos varejo alemão cresceram em agosto, 3,3% em termos nominais e 2,2% em termos reais, em comparação ao mesmo período no ano passado.

(Humberto Domiciano - Agência IN)