Bancários do Banco de Brasília conseguem reajuste de 12%

SÃO PAULO, 1 de outubro de 2010 - A greve nacional dos bancários no seu terceiro dia traz uma significativa vitória dos bancários do Banco de Brasília (BRB) que conquistaram 12% de reajuste nos pisos salariais e todos os demais benefícios (1% além da reivindicação de 11%) e 7% nas funções gratificadas.

A vitória é animadora pois estabelece um novo parâmetro nas negociações, ainda em andamento, com os demais bancos públicos e privados.

Na próxima segunda-feira, devem recomeçar as negociações com os demais bancos e a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) -filiada à União Geral dos Trabalhadores, UGT, vai insistir na estratégia de provar, tecnicamente, que há possibilidade de os bancos aceitarem ou superarem (como foi o caso do BRB) a reivindicação salarial dos bancários que é de 11% de reajuste (inflação mais ganho real).

"Vamos aproveitar também para estabelecer indicadores técnicos para a negociação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que no caso do BRB devem superar os R$ 5.500,00 negociados no ano passado", ressalta Lourenço Prado, presidente da Contec.

"A greve dos bancários se justifica diante da verdadeira provocação patronal de oferecer apenas o repasse da inflação de 4,29% para os salários dos bancários num dos setores da economia que teve lucros astronômicos no último ano", finaliza Prado.

(Redação - Agência IN)