Apesar de dia instável, Ibovespa aproxima dos 70 mil pontos

SÃO PAULO, 1 de outubro de 2010 - Em um dia de volatilidade, o principal índice acionário da BM&FBovespa opera com leves ganhos. O movimento é reflexo da "barreira psicológica" dos 70 mil pontos, o que faz investidores realizarem lucros. Há pouco, o Ibovespa tinha alta de 0,42%, aos 69.718 pontos. O giro financeiro da bolsa estava em R$ 3,328 bilhões.

Apesar disso, o desempenho das ações da Petrobras continua positivo. Para Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros, o preço da oferta das ações da petrolífera favorece a alta. Instantes atrás os papéis (PN) da empresa tinham ganhos de 0,81%.

Na opinião de Monteiro, o viés de baixa do Ibovespa é explicado pela queda no ritmo de ganhos das bolsas dos Estados Unidos. "O movimento ficou mais fraco, já que o mercado ainda não consegue passar da barreira do 70 mil pontos. Como lá fora, as bolsas já devolveram os ganhos da parte da manhã, por aqui o ritmo também caiu", explicou.

No cenário externo, a agenda econômica do dia revelou que o indicador que mede o desempenho do setor manufatureiro dos Estados Unidos recuou de 56,3 pontos em agosto deste ano, para 54,4 pontos em setembro. O dado veio pior do que o previsto pelo mercado que estimava 54,5 pontos para o mês.

Por outro lado, os gastos dos consumidores norte-americanos tiveram acréscimo de 0,4% em agosto deste ano, ante o mês anterior. O indicador veio melhor do que o esperado pelo mercado, que previa alta de 0,3%. E a confiança do consumidor dos Estados Unidos, medida pela Universidade de Michigan, avançou para 68,2 pontos em setembro deste ano, contra leitura de 66,6 pontos apurada um mês antes. O número superou os projeções dos analistas, que estimavam expansão para 67 pontos.

(Humberto Domiciano - Agência IN)