Relatório Trimestral de Inflação centra atenção

SÃO PAULO, 30 de setembro de 2010 - A curva de juros futuros segue dentro da estabilidade no curto prazo e avanço nos vencimentos mais longos. Na BM&FBovespa o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 registrava taxa anual de 10,66%, ante 10,67% do ajuste anterior. O DI de janeiro de 2013 projetava juro de 11,86%, frente aos 11,82% da véspera.

O mercado de juros futuros digere nesta manhã dados do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado pelo Banco Central (BC), além de dados melhores que o esperado da economia norte-americana.

Segundo a LCA a leitura da edição mais recente do RTI sugere que o Banco Central (BC) está dando peso maior, no seu processo de tomada de decisão, às projeções de inflação dos seus próprios modelos (em detrimento das expectativas de inflação do mercado apuradas no boletim Focus).

No documento as projeções de seus modelos de inflação pouco mudaram em relação aos números do RTI de junho: a inflação no cenário de referência (com Selic estável em 10,75% ao ano e R$/US$ em 1,75) continua ligeiramente acima do centro da meta para 2011 (alta de 4,6% do IPCA, vindo de uma alta de 5% em 2010), situando-se abaixo dela no 2º e 3º trimestres de 2012. No cenário de mercado, a projeção para 2011 é idêntica e a queda da inflação para abaixo do centro da meta é algo mais rápida em 2012.

O BC atribui 90% de chance para uma alta do IPCA situada entre 4,4% e 4,8% em 2011, no cenário de referência. É isto que sugere que o BC tomou suas últimas decisões baseado muito mais em suas próprias projeções do que nas expectativas do Focus (embora elas explicitamente entrem nos modelos de projeção). Não custa lembrar que a mediana mais recente das projeções do Focus aponta um alta do IPCA de 4,94% em 2011.

Os consultores da LCA consideram o documento predominantemente "dovish", de um BC que deu peso relativamente menor à evolução das expectativas do mercado. Não se devia esperar que o BC fosse além em sua manifestação sobre o juro real neutro - o BC não pode se comprometer com um número - mas aparentemente a estimativa do BC é menor que o consenso do mercado.

No front externo, o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano registrou acréscimo de 1,7% no segundo trimestre deste ano. O dado veio melhor do que o esperado pelo mercado e acima da estimativa anterior, ambos situados em 1,6%.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)