Dados dos EUA disseminam otimismo e bolsas sobem

SÃO PAULO, 30 de setembro de 2010 - A divulgação de indicadores melhores do que o previsto nos Estados Unidos deverá elevar o ânimo dos investidores nesta quinta-feira.

Instantes atrás, foi revelado que o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano registrou acréscimo de 1,7% no segundo trimestre deste ano, de acordo com a terceira estimativa do indicador. O dado veio acima do esperado pelo mercado e da estimativa anterior (1,6%).

No mesmo sentido, os novos pedidos de auxílio-desemprego no país recuaram para 453 mil, contra projeção de 457 mil. Uma semana antes, os pedidos do seguro somaram 469 mil (dado revisado).

Logo após a divulgação dos resultados, as bolsas europeias, que amargavam perdas, começaram a inverter tendência. Há pouco, o índice FTSE-100, de Londres, ganhava de 0,18% aos 5.579 pontos. O CAC-40, de Paris, tinha decréscimo de 0,18%, aos 3.730 pontos e o DAX, de Frankfurt, subia 0,32% aos 6.266 pontos.

No velho continente, a taxa de desemprego Alemã caiu para 7,5% em setembro, ante 7,6% no mês anterior. Na zona do euro, a inflação foi estimada em 1,8% para este mês, contra taxa de 1,6% em agosto.

Internamente, hoje foi revelado que o Índice de Confiança da Indústria (ICI) elevou-se em 0,4% em setembro de 2010, ante agosto, ao passar de 112,9 para 113,4 pontos.

A atenção dos agentes voltou-se também para a nota de política fiscal do Banco Central (BC). Segundo o documento, o BC reconhece o risco de alta da inflação no curto prazo, puxada, principalmente por alimentos. Para as commodities, a autoridade financeira também prevê alta de preços.

Já no mercado acionário, o dia tem viés positivo, com os investidores digerindo os dados sobre a economia dos Estados Unidos.

Por outro lado, na Ásia os mercados encerraram em queda, puxados por dados confusos publicados pelo FED.

Desta forma, em Tóquio, o índice Nikkei 225 caiu 1,99%, para 9.369,35 pontos, ao mesmo tempo que em Seul, o índice Kospi subiu 0,34%, para 1.872,81 pontos. Já em Xangai, o índice Xangai Composto avançou 1,72%, para 2.655,66 pontos, e em Hong Kong, o índice Hang Seng recuou 0,09% para 22.358,17 pontos.

(CSU - Agência IN)