Previdência abrange 81,73% dos idosos brasileiros

SÃO PAULO, 29 de setembro de 2010 - A Secretaria de Políticas de Previdência Social constatou que 81,73% dos idosos brasileiros são protegidos pela Previdência Social brasileira, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio 2009 (PNAD/IBGE). Isso representa 17.764.921 de pessoas com 60 anos ou mais, cerca de 500 mil a mais do que o registrado na PNAD do ano anterior.

No caso dos homens dessa faixa etária, a proteção chega a 86,6%, ou seja, 8.326.290 de pessoas. Para as mulheres idosas, o percentual de cobertura chega a 77,87%, beneficiando 9.438.631 de brasileiras.

O estudo também revela que o pagamento de benefícios previdenciários impediu que 23.125.351 de brasileiros, de todas as faixas etárias, ficassem abaixo da linha da pobreza. Na PNAD do ano anterior eram 22,6 milhões. Caso não houvesse esse mecanismo de proteção social, o percentual de pessoas pobres, aos 50 anos, chegaria a 30% e, no caso de brasileiros com 70 anos de idade, superaria a 65%.

Com base nos dados, verifica-se que o sistema previdenciário brasileiro consegue fazer com que a taxa de pobreza entre os idosos seja cerca de três vezes inferior à taxa média da população. Os segurados com 70 anos ou mais, por exemplo, estão abaixo de 10% da linha de pobreza estimada.

De acordo com o estudo, se não houvesse pagamento de benefícios previdenciários ou assistenciais, 42,2% da população, ou 78.256.510 de pessoas, estariam abaixo da linha de pobreza, independente da idade. Já com os benefícios, o percentual cai para 29,7%, garantindo melhor renda a 55.131.159 de brasileiros. Considera-se abaixo da linha de pobreza quem tem renda domiciliar per capita inferior a meio salário mínimo.

Na distribuição regional, 15 estados mantêm índice de cobertura maior que a média nacional de 81,73% para os idosos. Na PNAD 2008, eram 12 os estados acima da média nacional.

(Redação - Agência IN)