Desemprego recua para 11,9% em agosto

SÃO PAULO, 29 de setembro de 2010 - A Taxa de desemprego nas sete regiões metropolitanas monitoradas recuou de 12,4% em julho deste ano, para 11,9% em agosto, segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada hoje pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No período, o contingente de desempregados somou 2.625 mil pessoas, 104 mil a menos do que no mês anterior.

Por sua vez, a taxa de desemprego aberto passou de 8,9% para 8,6% no mês e a de desemprego oculto, de 3,5% para 3,3%. A taxa de participação permaneceu relativamente estável no período em análise (de 60,5% para 60,6%). O nível de ocupação cresceu 0,8%.

A taxa de desemprego total diminuiu em todas as regiões metropolitanas pesquisadas, com destaque em Recife, Fortaleza e Belo Horizonte. O nível de ocupação cresceu em Salvador (2,6%), Recife (2,3%), Fortaleza (1,7%), Porto Alegre (0,9%) e São Paulo (0,4%) e permaneceu estável em Belo Horizonte e no Distrito Federal.

No conjunto das regiões, o nível ocupacional aumentou no Comércio (77 mil ocupações, ou 2,5%), nos Serviços (70 mil ocupações, ou 0,7%), no agregado Outros Setores (18 mil, ou 1,1%) e na Construção Civil (11 mil, ou 0,9%), decrescendo ligeiramente apenas na Indústria (menos 15 mil postos de trabalho, ou 0,5%).

Segundo posição na ocupação, houve pequeno acréscimo do número de assalariados (0,4%), resultado do crescimento do assalariamento no setor privado (0,6%), que mais que compensou a diminuição do emprego público (0,6%). No segmento privado aumentou o número de assalariados com carteira de trabalho assinada (0,7%), enquanto o dos sem carteira permaneceu relativamente estável (-0,2%).

O contingente de autônomos pouco se alterou (-0,3%), mas aumentaram o de empregados domésticos (1,3%) e o dos classificados nas demais posições ocupacionais (7,5%).

(Redação - Agência IN)