Abimaq pede barreiras para importação de 250 produtos

SÃO PAULO, 29 de setembro de 2010 - A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) vai pedir para o Ministério da Fazenda aumento da taxa de importação para 35% para uma lista de 250 produtos. A informação foi dada hoje durante entrevista coletiva na sede da entidade.

Para Luiz Aubert Neto, presidente da associação, a medida teria caráter paliativo. "Trata-se de uma defesa comercial emergencial. É algo que está dentro das normas da Organização Mundial do Comércio [OMC] e muitos países do mundo fazem. Estamos passando por um processo de desindustrialização e precisamos tomar alguma atitude", defendeu.

Segundo dados da entidade, o déficit da balança comercial do setor de máquinas e equipamentos cresceu 37,3% entre janeiro e agosto de 2010 somando US$ 9,873 bilhões. Aubert Neto acredita que o governo precisa alterar a taxa de câmbio para tentar solucionar o problema. "Sabemos que não é algo fácil. Mas vemos um problema sério na taxa de juros, que aumenta o câmbio, afetando a infraestrutura e com isso eleva o custo Brasil", explicou.

A Abimaq apresentou um comparativo dos preços de bombas de vácuo importadas. Enquanto em uma operação com a Alemanha o produto custaria US$ 32,30 por quilo, vindo da China, sairia pelo preço de US$ 7,66 por quilo.

(Humberto Domiciano - Agência IN)