Revisão nos pedidos de bens duráveis animam investidores

SÃO PAULO, 24 de setembro de 2010 - Os novos pedidos de bens duráveis nos Estados Unidos, que recuaram 1,3% em agosto, frustou os investidores que esperavam queda de 1%, mas por outro lado, dados revisados do mês de julho vieram melhores do que o esperado, o que levou ânimo aos agentes.

Segundo André Perfeito, economista da Gradual Corretora, "o resultado que se obteve quando exclui o item Transportes foi expressivamente melhor [alta de 2%]. Além disso, houve revisão de 0,3% para 0,7% para o mês de julho. Este conjunto de notícias positivas acabou invertendo o humor nas bolsas mundiais, diante da queda neste mês", explicou.

Perfeito comentou ainda que com a economia norte-americana em fraca recuperação, qualquer leve alta nos indicadores, já é motivo para se animar. "Depois de uma das maiores crises que os Estados Unidos já enfrentou é natural que a retomada na economia seja lenta mesmo. É impossível querer que volte ao patamar que era antes em apenas alguns meses. Portanto, qualquer crescimento que tenha, já é muito bom, ainda que seja perto de zero", ponderou.

O economista completou ainda, dizendo que "em meio a indicadores ruins nos últimos dias, o de hoje foi uma grata surpresa com as revisões, o que tem elevado as bolsas norte-americanas".

(Niviane Magalhães - Agência IN)