Em dia de agenda fraca, DIs operam dentro da estabilidade

SÃO PAULO, 24 de setembro de 2010 - Em dia de agenda doméstica fraca de indicadores econômicos as projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na BM&FBovespa sinalizam estabilidade. Há pouco, o DI com vencimento em janeiro de 2011 projetava juro de 10,67%, mesma da véspera. O DI de janeiro de 2012 apontava taxa anual de 11,54%, contra 11,53% do último ajuste.

A curva de juros futuros precifica que a taxa Selic, fixada em 10,75% ao ano, ficará assim por mais algum tempo. O que, de certa forma, respalda a decisão de parada do Banco Central (BC), que por meio da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), indica que a autoridade monetária está bastante confiante que o atual patamar de juros é suficiente para trazer a inflação e expectativas de volta a trajetória de metas, apontando que o cenário base é de manutenção da taxa de juros nas próximas duas reuniões de política monetária.

Na agenda interna desta sexta-feira foi divulgado o resultado do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no município de São Paulo, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe/USP), que acelerou para 0,35% na terceira quadrissemana de setembro, superior ao índice da segunda, que foi de 0,21%.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)