IGP-M acelera para 1,03% no 2º decêncio de setembro

SÃO PAULO, 21 de setembro de 2010 - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) variou 1,03%, no segundo decêndio do mês de setembro, segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No mês anterior, para o mesmo período de coleta, a variação foi de 0,55%.

Dentre os componentes do indicador, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou variação de 1,45%, no segundo decêndio de setembro. No mês anterior, a variação foi de 0,89%. A taxa de variação dos Bens Finais avançou de -0,40% para 1,01%. A maior contribuição para a aceleração teve origem no subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,38% para 3,88%.

A taxa de variação do grupo Bens Intermediários passou de 0,33%, em agosto, para 0,29%, em setembro. O destaque coube ao subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de 0,55% para 0,27%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas teve sua taxa de variação aumentada de 3,47% para 3,70%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: algodão (em caroço) (de -2,28% para 33,30%), milho (em grão) (de 0,01% para 12,25%) e bovinos (de 2,00% para 4,66%). Em sentido oposto, destacam-se: minério de ferro (de 14,81% para 2,29%), soja (em grão) (de 8,64% para 3,26%) e aipim (mandioca) (de 0,04% para -2,89%).

Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,24%, no segundo decêndio de setembro, ante -0,28%, no mesmo período do mês anterior. Cinco das sete classes de despesa componentes do índice registraram acréscimos em suas taxas de variação, com destaque para Alimentação (de -1,33% para 0,28%). Neste grupo, vale mencionar o comportamento dos preços dos itens: hortaliças e legumes (de -9,20% para -3,28%), frutas (de -3,26% para 0,41%) e carnes bovinas (de 1,06% para 2,92%).

Também registraram avanços em suas taxas os grupos: Vestuário (de -1,08% para 0,35%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,03% para 0,13%), Habitação (0,17% para 0,24%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,31% para 0,38%). Os itens que mais influenciaram a aceleração destas classes de despesa foram: roupas (de -1,45% para 0,33%), cursos não formais (de 0,05% para 0,85%), material para limpeza (de -0,33% para 0,26%) e medicamentos em geral (de 0,13% para 0,33%), respectivamente.

Em sentido oposto, decresceram: Despesas Diversas (de 0,53% para 0,11%) e Transportes (de 0,32% para 0,16%). Nestas classes de despesa, vale destacar os itens: cigarro (de 0,90% para 0,00%) e álcool combustível (de 5,78% para 0,63%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou, no segundo decêndio de setembro, taxa de 0,14%, ante 0,27%, no segundo decêndio do mês anterior. A taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 0,43%, em agosto, para 0,23%, em setembro. O índice que capta o custo da Mão de Obra registrou taxa de 0,05%, inferior à do mês anterior, de 0,09%.

(CSU - Agência IN)