Brasil sobe para nona posição em produção de papel

SÃO PAULO, 21 de setembro de 2010 - O Brasil saltou do 11º para o 9º lugar entre os produtores mundiais de papel e manteve o quarto posto entre os principais países produtores de celulose, no ano passado, segundo o "RISI Annual Review", publicação da consultoria internacional especializada nesses mercados que acaba de ser divulgada e traz a lista "The World's Top 30 Producers and Consumers 2009".

No ano passado, o País produziu 9,3 milhões de toneladas, mantendo o nível de produção de 2008, e foi beneficiado pela queda de produção da Itália e da França, por conta da crise financeira internacional. O relatório mostra também que a China ultrapassou os Estados Unidos e, com 86,4 milhões de toneladas produzidas (crescimento de 8,3% em relação a 2008), passou a ser o primeiro produtor mundial de papel. O Canadá registrou queda de 19,1%, a maior entre todos os países analisados.

A produção brasileira de celulose foi a que mais cresceu em 2009: 7,3% sobre 2008, enquanto os três primeiros produtores registram queda na comparação com o mesmo período: -6,1% nos Estados Unidos, -3,1% na China e -16,1% no Canadá. O Brasil, a Índia e o Chile foram os únicos países que registraram crescimento na produção, em relação a 2008, enquanto Finlândia e Japão foram os que mais caíram, com perda de volume acima de 20%.

"O cenário internacional reflete todo o esforço das empresas brasileiras no ano passado para superar a crise. Porém, é importante ressaltar os resultados de 2010 que também seguem uma trajetória positiva, tanto em relação à produção quanto à receita das exportações, cuja queda durante a crise foi, sem dúvida, o principal problema enfrentado pelas empresas", afirma Elizabeth de Carvalhaes, presidente executiva da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa).

(Redação - Agência IN)