Balanço de pagamentos tem superávit de US$ 4,4 bi em agosto

SÃO PAULO, 21 de setembro de 2010 - O balanço de pagamentos do Brasil registrou superávit de US$ 4,4 bilhões em agosto deste ano, segundo nota do Banco Central (BC). No mês, a conta corrente ficou deficitária em US$ 2,9 bilhões, acumulando déficits de US$31,1 bilhões no ano e de US$45,8 bilhões nos últimos doze meses, este último equivalente a 2,32% do PIB.

A conta financeira apresentou ingressos líquidos de US$ 6,6 bilhões no mês. Segundo o BC, destacaram-se os ingressos líquidos de investimentos estrangeiros em carteira, de US$ 5,6 bilhões, e diretos, de US$2,4 bilhões.

A conta de serviços apresentou déficit de US$ 2,5 bilhões em agosto, 47,9% acima do registrado no mesmo mês de 2009. As despesas líquidas com transportes somaram US$493 milhões, com aumento de 109,3% na mesma base de comparação. A conta de viagens internacionais registrou despesas líquidas de US$813 milhões, ante déficit de US$460 milhões em agosto do ano anterior, fruto de ampliações de 42,2% nos gastos efetuados por brasileiros no exterior e de 7,3% nos de turistas estrangeiros no País.

No mesma base de comparação, destaque-se a elevação das despesas líquidas com aluguel de equipamentos, 66,1%. Houve recuo nas despesas líquidas com royalties e licenças, 20,9%; e seguros, 34,5%. Os outros serviços registraram ingresso líquido de US$ 645 milhões, 20,6% acima do ocorrido em agosto de 2009.

As remessas líquidas de renda para o exterior somaram US$3 bilhões no mês, com elevação de 25% em relação a agosto do ano anterior. As saídas líquidas de renda de investimento direto totalizaram US$2,2 bilhões, ante US$1,1 bilhão em agosto de 2009. As remessas líquidas de renda de investimentos em carteira atingiram US$526 milhões, ante US$1 bilhão no período comparativo.

A despesa líquida de renda de outros investimentos somou US$ 296 milhões, recuo de 19,1% em relação ao mesmo mês do ano passado. As despesas líquidas totais de lucros e dividendos e de juros atingiram, na ordem, US$ 2,5 bilhões e US$ 526 milhões, com variações respectivas de 32,5% e de -3,8%.

Por sua vez, as transferências unilaterais acumularam ingressos líquidos de US$ 235 milhões, com decréscimo de 6,2% na comparação com agosto de 2009.

(Redação - Agência IN)