Expectativa de elevação da inflação ajusta DIs para cima

SÃO PAULO, 20 de setembro de 2010 - As projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na BM&FBovespa operam em alta nesta segunda-feira refletindo a elevação das expectativas da inflação para 2010 e 2011, conforme revelou o boletim Focus divulgado nesta manhã.

Há pouco, o DI com vencimento em janeiro de 2011 apontava taxa anual de 10,67%, ante 10,66% do último ajuste. O DI de janeiro de 2012 registrava juro de 11,50%, contra 11,42% do fechamento de sexta-feira.

A agenda interna desta segunda-feira é vazia, destaque para o boletim Focus divulgado pelo Banco Central (BC). De acordo com o documento, a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2010 passou de 4,97% para 5,01%, enquanto que, para 2011, registrou ajuste para cima de 4,90% para 4,95%. Já a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2010 mostrou pequena elevação, ao passar de 7,42% para 7,47%, enquanto que, para 2011, permaneceu em 4,5%.

Em relação às apostas para a taxa básica de juros (Selic), os analistas mantiveram as projeções deste ano em 10,75% frente à previsão da semana anterior. Para 2011, o cenário também se manteve em relação a semana passada, com a taxa em 11,75%.

A equipe econômica do banco Fibra comenta em relatório que após alguns meses de surpresas positivas no campo inflacionário, é esperada uma aceleração da inflação daqui para frente. A magnitude dessa aceleração, no entanto, pode guardar surpresas. Os indicadores de preços ao atacado sugerem um novo ciclo de altas nos preços dos alimentos, enquanto que a temida inflação de serviços segue como importante foco de pressões nos próximos meses. Neste aspecto, merece destaque a força da demanda doméstica e as condições bastante apertadas do mercado de trabalho. Vale lembrar que os primeiros indicadores de inflação de setembro confirmaram as expectativas de que os índices de preços não permaneceriam ao redor de zero neste mês.

O banco Fibra vislumbra, portanto, um cenário preocupante para a inflação daqui para frente, com potencial de impactar as expectativas para os próximos meses e também para 2011. Neste contexto, a equipe econômica do banco Fibra considera que será necessária a retomada do ciclo de aperto monetário ainda no primeiro trimestre de 2011.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)