Investidor externo pode segurar preço da Petrobras

SÃO PAULO, 17 de setembro de 2010 - Após considerarem que a capitalização da Petrobras e os investimentos posteriores que serão demandados pela companhia gerará cenário de risco ao investidor, economistas ponderaram que investimentos externos deverão neutralizar o cenário maligno.

"Quem compra Petrobras agora, deve saber que os bons rendimentos virão apenas após cerca de 6 anos, afinal é natural que a empresa remunere menos enquanto investe. Pensando deste jeito, é possível que haja realização de lucro e o preço do papel caia. No entanto, há também a consciência de que o papel é certeza de bons rendimentos no longo prazo, o que deverá gerar interesse de compradores externos, como o governo chinês, por exemplo. Isso, se confirmando, as ações da companhia devem ser boa opção, rentável, tanto no curto, como no longo prazo", disse uma economista. "Mas é preciso lembrar que isso pode ou não acontecer", ponderou.

Por sua vez, Antonio Colangelo Luz, professor de economia da Trevisan Escola de Negócios, destacou que quem comprar ações da companhia "dificilmente terá prejuízo". "Se tiver, será no curto prazo. Não há risco de perder, sem recuperar", afirmou.

Ele ressaltou os benefícios de quem usa o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para aplicar na estatal. "É uma ótima opção. Essa pessoa que já aplica, deve continuar investindo. O petróleo continuará como principal fonte de energia mundial por muito tempo, esse papel só tem a valorizar", disse.

(Carina Urbanin - Agência IN)