Ibovespa fecha pregão em baixa de 0,8%, mas sobe na semana

SÃO PAULO, 17 de setembro de 2010 - A sexta-feira terminou com a BM&FBovespa em terreno negativo, registrando leve descolamento das praças acionárias norte-americanas. O comportamento das blue chips Vale e Petrobras norteou o rumo dos negócios. No fim do dia, o Ibovespa caiu 0,85%, aos 67.089 pontos. O giro financeiro da bolsa fechou em R$ 5,060 bilhões. Já na semana, o índice avançou 0,4%.

Os detalhes do processo de capitalização da Petrobras continuaram pautando os negócios. Hoje, a companhia aprovou o aumento do limite de ações que poderão ser emitidas no lote adicional de sua megaoferta de capitalização de 10% para até 20% dos papéis inicialmente oferecidos. As ações da Petrobras (PN) terminaram em alta de 0,30%.

Para Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da Corretora Souza Barros, o Índice Bovespa só voltará a operar normalmente depois do dia 29 de setembro, ou seja, após a capitalização da estatal. "O mercado está praticamente parado esperando o processo, fazendo com que o índice não acompanhe o comportamento de Wall Street", avaliou.

Ainda entre as blue chips, os papéis da Vale (PNA) ajudaram a pressionar o Ibovespa, ao cair 1,04%. No mesmo sentindo, as ordinárias da OGX tiveram retração de 1,31%. Hoje a petrolífera informou que concluiu o teste de formação a poço revestido realizado no poço 1OGX14RJS, localizado no bloco BMC40, em águas rasas da Bacia de Campos. A OGX detém 100% de participação neste bloco.

Por sua vez, a Hypermarcas anunciou contrato de venda e compra de ações e outras avenças entre a companhia e acionistas titulares de ações ordinárias representativas de 99,136% do capital social votante e total da York Indústria e Comércio.

No âmbito externo, apesar do Ibovespa apresentar um certo descolamento das bolsas dos Estados Unidos, segundo Monteiro, a queda da confiança do consumidor do país atrapalhou um pouco os negócios no Ibovespa pela manhã. Isso porque de acordo com dados preliminares da Universidade de Michigan, o indicador passou de 68,9 pontos em agosto para 66,6 pontos em setembro, ficando abaixo das estimativas dos analistas.

Ainda por lá, o mercado monitorou dados de inflação dos Estados Unidos. O Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,3% em agosto enquanto nos últimos 12 meses, o índice cresceu 1,1%.

(Déborah Costa - Agência IN)