Japão intervém no mercado de câmbio para frear disparada do iene

Agência AFP

TÓQUIO - O Japão interveio nesta quarta-feira no mercado de câmbio pela primeira vez em seis anos, com o objetivo de frear a disparada do iene, que na terça-feira alcançou a cotação mais alta em relação ao dólar desde maio de 1995, em uma demonstração de força do primeiro-ministro, Naoto Kan.

Yoshihiko Noda, ministro japonês das Finanças, explicou que a recente apreciação do iene estava provocando "uma desestabilização da economia e das finanças" do país, algo "intolerável" pelas autoridades.

O iene não parou de subir nas últimas semanas, até alcançar o maior nível em 15 anos frente ao dólar - e nove anos em relação ao euro.

A moeda japonesa é objeto de compras em massa, em parte especulativas, estimuladas pelas incertezas da conjuntura ocidental.

O iene regitrou uma queda logo após a intervenção do governo japonês, permitindo que o valor do dólar retornasse a um patamar superior aos 85 ienes (e o euro, a 110 ienes).

A Bolsa de Tóquio, por sua vez, encerrou o pregão desta quarta-feira em forte alta, com o índice Nikkei ganhando 2,34%, a 9.516,56 unidades.