Fibermaq revê para cima projeção de crescimento em 2010

S O PAULO, 15 de setembro de 2010 - A Fibermaq - empresa de equipamentos para a indústria de compósitos e poliuretano - foi obrigada a rever para cima as suas estimativas de crescimento em 2010. Dos 20% de aumento na receita projetados em janeiro, hoje a empresa trabalha com uma perspectiva de, no mínimo, 35%.

"A boa fase da economia refletiu diretamente no balanço da maioria dos nossos clientes. Mais confiantes, eles decidiram ampliar ou renovar seus parques de máquinas", comemora José Batista de Andrade, diretor da Fibermaq. No ano passado, a empresa cresceu pouco mais de 1%.

O mercado de compósitos, responsável por mais de 70% das vendas da Fibermaq, vive um momento de otimismo generalizado. Segundo as projeções da Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO), o setor deve registrar um aumento de 11% no faturamento, totalizando R$ 2,3 bilhões.

"Como esse percentual é uma média de toda a indústria, não é difícil encontrar empresas anunciando taxas de crescimento na casa dos 40% ou 50%", comenta Andrade. O ótimo momento vivido pelos setores de construção civil, geração de energia e transportes - três dos principais redutos consumidores de compósitos do Brasil - explica o porquê de tamanha euforia.

Muito embora o câmbio continue pouco atraente para exportar, a Fibermaq segue buscando espaço nos mercados internacionais. Andrade calcula que as vendas para a América do Sul, África e Ásia responderão por pouco menos de 20% do faturamento da empresa em 2010 - fatia semelhante à do ano passado.

"Por mais que a demanda doméstica esteja aquecida, não podemos deixar de lado as exportações. De forma paulatina, estamos conseguindo espaços em mercados de compósitos emergentes, a exemplo do indiano e sul-africano".

(Redação - Agência IN)