Bolsas fecham em direções opostas

S O PAULO, 14 de setembro de 2010 - As principais bolsas de valores mundiais encerraram sem tendência definida nesta terça-feira. A divulgação de indicadores econômicos mistos e o forte movimento comprador do pregão anterior impediram a continuidade da tendência.

Nos Estados Unidos, o destaque foi a venda no varejo, que mostrou evolução de 0,4% em agosto deste ano, na comparação mensal. O dado animou os investidores, já que superou as estimativas dos analistas. No entanto, apesar do indicador positivo, ele não teve peso suficiente para manter as bolsas de valores norte-americanas no azul, uma vez que os agentes estavam cautelosos com os indicadores no velho continente. Em meio ao cenário, Wall Street fechou em direção oposta. O índice Dow Jones Industrial Average caiu 0,17%, aos 10.526 pontos. O S&P 500 recuou 0,07%, aos 1.121 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq ganhou 0,18%, aos 2.289 pontos.

E por falar na Europa, os índices acionários da região terminaram o pregão de hoje em leve alta. Na pauta econômica, o índice de sentimento econômico na Alemanha caiu 18,3 pontos em setembro deste ano, chegando aos -4,3 pontos. Ao final dos negócios, o índice FTSE-100, de Londres, subiu 0,03%, aos 5.567 pontos, o CAC-40, de Paris, cresceu 0,19%, aos 3.774 pontos. O DAX, de Frankfurt, teve valorização de 0,22% aos 6.275 pontos.

Já na Argentina, o Índice Merval, da bolsa de valores de Buenos Aires, registrou desvalorização de 0,61%, aos 2.442 pontos.

E no Brasil, o Ibovespa acabou com recuo de 0,50%, aos 67.691 pontos. O índice foi impactado principalmente pelo comportamento negativo das ações da Petrobras. As preferenciais da companhia perderam 5,12% no fim do dia. O giro financeiro da bolsa fechou em R$ 8,208 bilhões.

Na renda fixa, a curva de juros futuros finalizou esta terça-feira estável no curto prazo. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 apontou taxa anual de 10,66%. No câmbio, o dólar comercial caiu e terminou vendido a R$ 1,708.

Nas commodities, os preços do petróleo finalizaram a segunda sessão da semana em terreno negativo, diante do início de reparação de um oleoduto, gerando incertezas em relação a retomada da produção. O barril de petróleo do tipo WTI, com vencimento em outubro, caiu US$ 0,41 para US$ 76,78 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). E o barril do tipo Brent, com vencimento também em outubro, recuou US$ 0,11 cotado a US$ 79,14 no ICE Exchange de Londres.

(Redação - Agência IN)