Agenda fraca afeta bolsas europeias

S O PAULO, 15 de setembro de 2010 - Em dia de poucos indicadores relevantes, os principais índices acionários europeus encerraram a quarta-feira em baixa. O movimento foi reflexo também do desempenho fraco das empresas do setor farmacêutico e de commodities.

Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, caiu 0,19%, aos 5.557 pontos, o CAC-40, de Paris, recuou 0,50%, aos 3.755 pontos. O DAX, de Frankfurt, teve desvalorização de 0,22% aos 6.261 pontos.

A agenda econômica do dia apontou que a inflação na zona do euro desacelerou no mês de agosto, registrando 1,6% frente 1,7% do mês de julho. Na região e no conjunto da União Europeia (UE), o emprego manteve-se estável no segundo trimestre do ano em relação ao período de janeiro a março.

Os números mostram que a zona do euro continua em uma fase de estabilização após ter contido a perda de empregos no primeiro trimestre, enquanto nos 27 membros da UE aconteceu, pela primeira vez, uma quebra na perda de empregos (que caíram 0,2% entre janeiro e março).

Já o número de desempregados no Reino Unido recuou para 7,8% nos três meses terminados em julho, 0,1% menor que no trimestre anterior, com 2,47 milhões de pessoas desocupadas, número pouco alterado em relação ao mês anterior. O número de pessoas desempregadas somou 2,47 milhões nos três meses até julho, 8 mil a menos do que nos três meses até abril e 5 mil a menos do mesmo período do ano anterior.

Por outro lado, o desempenho das ações das empresas do setor farmacêutico afetou os negócios. Em Londres, os papéis da AstraZeneca tiveram queda de 1,09%.

Além disso, o setor petrolífero também enfrentou quedas, tendo como destaque as ações da British Petroleum (BP), que recuaram 2,67%.

(Humberto Domiciano - Agência IN)