Banco de Brasília incrementa crédito agrícola

SÃO PAULO, 15 de setembro de 2010 - Os produtores rurais precisam estar atentos para não perder o prazo de financiamento de suas safras. Eles devem protocolar os processos dentro do prazo do zoneamento agrícola e não deixar passar a oportunidade de financiar suas safras com taxas baixas. A plantação de soja, milho e feijão - destaques da agropecuária no DF - começa em outubro.

O BRB antecipa a análise das propostas para que os produtores consigam preços mais competitivos no mercado antes do início da safra. A intenção é liberar o dinheiro o quanto antes. Todos os anos o banco ajuda a movimentar o trabalho no campo no DF e no Entorno.

Outra vantagem que o BRB oferece é o seguro agrícola, em que o Governo Federal está subsidiando até 50% do prêmio e os outros 50% o banco pode incluir no financiamento para pagamento no próximo ano.

Sérgio Zimmerman, proprietário da Charrua e produtor rural em Formosa/GO, afirma que os financiamentos para o plantio de seus custeios foram disponibilizados com muita brevidade, o que agilizou todo o processo de plantio. "Este ano estamos trabalhando muito e esperamos crescer muito. O nosso relacionamento com o BRB cresce no mesmo ritmo. Vou plantar soja, milho e feijão e espero conseguir uma excelente colheita". Zimmerman completa parabenizando o Banco pelo profissionalismo como encara o crédito rural.

"É bom ser bem atendido e é sempre bom conversar com quem entende de agronegócio. Neste sentido, a Gerência de Crédito Rural do BRB foi uma grata surpresa", concluiu.

Em 2009, o BRB liberou aproximadamente R$ 85 milhões para financiamento de custeio, investimento e comercialização. Este ano a perspectiva é que este montante alcance R$ 103 milhões, resultando em um acréscimo de mais de 20% do total financiado no ano anterior. A área plantada também vai aumentar sendo que a expectativa é que cerca de 20 mil hectares sejam plantados com recursos liberados pelo Banco, representando um aumento de 25% comparado com os 16 mil hectares financiados no ano passado.

(Redação - Agência IN)