UE quer substituir 65% da gasolina por etanol de nova geração

S O PAULO, 14 de setembro de 2010 - O bloco das 27 nações que compõem a União Europeia poderá produzir 90 bilhões de litros do chamado "etanol de nova geração" - a partir de resíduos e não de colheitas agrícolas. Esta produção corresponde a cerca de 65% do uso previsível de gasolina proveniente de fonte fóssil, de acordo com informações veiculadas nesta terça-feira pelo periódico português Jornal de Negócios.

A UE poderá construir pelo menos 100 refinarias por ano a partir de 2013, acrescentando que este bloco comunitário não tem de momento instalações comerciais de refinação de biocombustíveis a partir de resíduos industriais.

"A agricultura europeia poderá beneficiar de uma nova indústria de bioenergia, uma vez que os agricultores terão uma fonte adicional de rendimento, aumentando o rácio euros-por-hectare por cada pedaço de terra", afirmou Roberto Rodriguez Labastida, co-autor do estudo do grupo Bloomberg New Energy Finance, sedeado em Londres.

A União Europeia definiu a meta de, em 2020, 10% do combustível dos transportes públicos provir de biocombustíveis. Para o etanol de nova geração - que não recorre às colheitas agrícolas - , a UE não tem ainda qualquer meta.

(Redação - Agência IN)