Inadimplência do consumidor tem o pior agosto

S O PAULO, 13 de setembro de 2010 - O consumidor que aproveitou a Copa do Mundo 2010 para comprar produtos de maior valor agregado acabou acumulando dívidas e com isso não conseguiu honrar seus compromissos. O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor registrou alta de 11,5% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, representando o maior crescimento na relação anual desde 2005.

Na avaliação mensal, agosto em relação a julho, a inadimplência do consumidor registrou crescimento ligeiro de 1,8%. Na análise dos acumulados, janeiro a agosto de 2010/2009, a inadimplência apresentou alta de 0,2%, a primeira variação positiva entre os acumulados desde janeiro deste ano.

Segundo os economistas da Serasa Experian, os sinais de reaquecimento da economia neste terceiro trimestre, a continuidade de geração de empregos e a elevação da massa salarial deverão atenuar, ao longo dos próximos meses, esta tendência de elevação da inadimplência do consumidor, permitindo que ela cresça num ritmo inferior à expansão do crédito, conforme vem ocorrendo nestes últimos trimestres.

Na decomposição do indicador, as dívidas com cartões de crédito e financeiras foram as principais responsáveis pelo crescimento da inadimplência (alta de 5,9%), contribuindo com 2,0% no resultado do índice. As dívidas com os bancos também subiram (1,1%) contribuindo com 0,6% no indicador mensal. Os cheques sem fundos e os títulos protestados apresentaram queda e acabaram contribuindo negativamente com 0,6% e 0,1% respectivamente.

De janeiro a agosto de 2010, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor médio das dívidas com os bancos caiu 1,3%. As outras modalidades de inadimplência apresentaram crescimento: cheques sem fundos (32,7%), títulos protestados (6,3%) e cartões de crédito e financeiras (2,0%).

(Redação - Agência IN)