Cenário externo estimula ajuste para cima dos DIs de longo prazo

S O PAULO, 13 de setembro de 2010 - Os prêmios dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) de longo prazo negociados na BM&FBovespa subiram nesta segunda-feira com os investidores aproveitando para realizar lucros diante de um cenário externo mais ameno e novas mudanças no boletim Focus. Já no curto prazo as taxas ficaram dentro da estabilidade.

O DI com vencimento em janeiro de 2011 registrou juro de 10,66%, contra 10,67% do ajuste anterior. Janeiro de 2012 projetava taxa anual de 11,34%, ante 11,30% do fechamento de sexta-feira.

Os indicadores mais fortes do que esperado da economia chinesa animaram os mercados. Por lá foi revelado que a produção industrial avançou 13,9% no mês de agosto de 2010, na variação anual. Por sua vez, as vendas no varejo chinês, principal indicador dos gastos dos consumidores na economia do país, aumentaram 18,4% em agosto, ante o mesmo período de 2009.

Internamente, o boletim Focus, elaborado pelo Banco Central (BC), revelou que a estimativa para este ano do Produto Interno Bruto (PIB) passou de 7,34% para 7,42%. Segundo o documento, para o próximo ano, a previsão de expansão ficou inalterada, em 4,50%, pela 40ª semana seguida.

Já o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) projetado caiu de 5,07% para 4,97%, ainda acima da meta (4,5%) do governo para este ano. Para o próximo ano, a taxa aumentou para 4,90%, ante 4,85% na semana anterior.

Em relação às apostas para a taxa básica de juros (Selic), os analistas mantiveram as projeções deste ano em 10,75% frente à previsão da semana anterior. Para 2011, o cenário teve alta, com a taxa em 11,75%, ante 11,50% na semana passada.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)