Brasil começa a reciclar geladeiras

S O PAULO, 14 de setembro de 2010 - O Ministério do Meio Ambiente (MMA) informou hoje que entrou em operação, em Cabreúva (SP), a primeira indústria de manufatura reversa de geladeiras no país.

Até então, o processo de eliminação do gás ainda era realizado manualmente, com o descarte da espuma de poliuretano, onde está a maior concentração de clorofluorcarbonetos, diretamente nos aterros sanitários e lixões. Com a nova tecnologia, esse revestimento será tratado de forma a impedir que os CFCs sejam liberados diretamente na atmosfera.

A previsão é de que as ações do governo brasileiro e da iniciativa privada recolham e desativem até 10 milhões de refrigeradores, produzidos há mais de dez anos. Nesses modelos mais antigos, os CFCs eram utilizados nos circuitos de refrigeração e na espuma termo isolantes dos aparelhos. Desde 2001, não se utiliza mais os clorofluorcarbonetos na fabricação de refrigeradores domésticos e comerciais e ares-condicionados.

As indústrias de manufatura reversa realizam a desmontagem dos equipamentos para reciclar e tratar os resíduos. No caso daqueles que possuem CFCs, elas neutralizam esse componente. O apoio e incentivo à instalação desse tipo de indústria faz parte do programa brasileiro para proteção da camada de ozônio, que completa 15 anos em 2010. O pólo instalado em São Paulo, operado pela Indústria Fox Proteção para o Clima, foi construído com apoio da Iniciativa Suíça de Proteção Climática, em parceria entre o governo daquele país e a Fundação SENS International.

Também já está prevista, para outubro, a instalação de outra indústria reversa, desta vez na cidade de Careaçu (MG), com apoio do governo alemão, por meio de cooperação com o Ministério do Meio Ambiente.

(Redação - Agência IN)