BID concede R$ 278 milhões ao Programa Serra do Mar

S O PAULO, 14 de setembro de 2010 - O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou um empréstimo de US$ 162 milhões (cerca de R$ 278 milhões) ao Governo do Estado de São Paulo para investimento no Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar. Os recursos vão acelerar a execução do programa em Cubatão, município que sofrerá a maior intervenção, e permitir que a ação seja expandida para todo litoral paulista, envolvendo 23 municípios.

O programa prevê a recuperação de áreas degradadas da Mata Atlântica e a transferência de famílias que ocupam áreas de preservação ambiental dentro do Parque Estadual da Serra do Mar. Entre as cidades beneficiadas estão Santos, Cubatão, Peruíbe, Ubatuba, São Sebastião e Caraguatatuba.

O empréstimo foi firmado mediante a uma contrapartida de investimentos de US$ 308 milhões (cerca de R$ 530 milhões) oriundos dos governos Estadual e Federal. Os recursos aportados pelo BID serão liberados ao longo da execução do projeto, prevista para acontecer até 2013. O dinheiro será aplicado no estudo de áreas de risco, cadastramento das famílias, construção de novas unidades habitacionais, investimentos sociais e gastos com proteção, fiscalização e conservação do Parque Estadual da Serra do Mar. Após a assinatura do empréstimo, o Governo do Estado receberá um aporte inicial de aproximadamente US$ 15 milhões (R$ 26 milhões).

O anúncio da liberação dos recursos para o Programa Serra do Mar repercutiu entre representantes do banco em diversos países, como Argentina, Japão, Estados Unidos, Equador, Venezuela, México, Alemanha e Paraguai, que destacaram a importância social e ambiental do projeto. O empréstimo do BID demonstra o reconhecimento internacional que o Projeto Serra do Mar tem recebido de autoridades e especialistas em desenvolvimento urbano ao redor do mundo. No mês de agosto, uma comitiva de 31 urbanistas franceses esteve na Serra do Mar para conhecer o projeto e levar um pouco da experiência dos programas de urbanização e moradia popular.

(Redação - Agência IN)