Wall Street fecha em alta após publicação de Livro Bege

Agência AFP

NOVA YORK - A Bolsa de Nova York fechou em alta nesta quarta-feira, apagando parte das perdas registradas na véspera e mais tranquila sobre a situação dos bancos europeus, apesar da lentidão da economia americana. O Dow Jones ganhou 0,45%, e o Nasdaq subiu 0,90%.

Segundo dados definitivos de fechamento, o Dow Jones Industrial Average subiu 46,32 pontos, a 10.387,87 pontos, e a bolsa eletrônica Nasdaq ganhou 19,98 pontos, a 2.228,87 pontos.

O índice ampliado Standard & Poor's avançou, por sua vez, 0,64% (7,03 pontos), a 1.098,87 pontos.

O mercado conseguiu manter-se no verde durante toda a sessão. A publicação do Livro Bege do Federal Reserve e as novas medidas anunciadas pelo presidente Barack Obama para as pequenas e médias empresas tiveram impacto limitado sobre a alta dos índices na segunda metade do dia.

"O Livro Bege confirmou o que já se sabia", disse Gregori Volokhin, da Meeschaert New York, depois da publicação do relatório de conjuntura.

O Fed observou uma "profusão" de sinais de desaceleração da atividade econômica, mas "é melhor que constatar uma nova recessão", disse o analista, um temor que tinha afetado pesadamente os mercados em agosto.

Wall Street recuperou-se em parte de suas perdas de terça-feira, originadas no aumento das inquietações sobre os bancos europeus e pela dívida de alguns países da zona do euro.

Esses temores "foram atenuados pela capacidade de Portugal de vender mais de 1 bilhão de dólares em títulos em duas tranches", afirmou Patrick O'Hare, do site Briefing.com.

"Hoje, os mercados flutuam, à espera de uma maior clareza sobre as diversas incógnitas, desde a economia e finanças até a política e as medidas adotadas, na busca de um catalizador sobre o qual se basear até determinar uma direção no longo prazo", disse John Stoltzfus, da Ticonderoga Securities.

O mercado obrigatório caiu. O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subiu para 2,654% contra 2,609% na noite de terça-feira, e os títulos de 30 anos, a 3,723% contra 3,669%. O rendimento das obrigações evolui no sentido oposto a seus preços.