Brasil ocupa a 58ª posição no ranking de competitividade

JB Online

RIO - O Fórum Econômico Mundial, WEF, divulgou um ranking de competitividade composto por 139 países. O Brasil ficou apenas com o 58º lugar, perdendo duas posições no ranking anual, apesar da melhora na avaliação dos critérios pelo WEF. O Brasil, no grupo dos países com estágio intermediário de desenvolvimento impulsionado pela eficiência, ainda é considerado uma nação com fraquezas em muitos aspectos.

A lista é liderada pela Suiça, mantendo a classificação do ano passado. A Suécia subiu duas posições e está no segundo lugar. Cingapura ocupa o quarto e os Estados Unidos o quarto, caindo duas posições. Na América Latina o Chile ocupa a melhor posição, ficando em 30º lugar. O México ocupa o 66º, a Argentina o 87º, caindo duas posições devido à inclusão de novos países, com avaliações melhores, na lista.

A WEF analisa critérios considerados pilares da competitividade , que são divididos em três categorias: requisitos básicos, promotores de eficiência e fatores de inovação e sofisticação. A organização atribui pesos diferentes para cada um dos pilares. Os países ficam divididos em cinco grupo diferentes, e cada uma das categorias tem pesos diferentes para cada grupo de países.

No caso do Brasil o melhor ítem foi o tamanho de mercado (10º lugar no ranking) e sofisticação econômica (31º lugar). O pior ficou com ambiente macroeconômico (111º) e eficiência do mercado de bens (114º). Considerando as categorias básicas o país se colocou melhor em inovação e sofisticação (38º), a pior colocação ficou em competitividade (86º).