PIB dos EUA define rumo dos negócios hoje

S O PAULO, 27 de agosto de 2010 - Enfim, chegou o dia da divulgação do indicador mais importante da semana, os dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano, referente ao segundo trimestre deste ano. De acordo com analista, a tendência é de que o viés do dia seja negativo. Segundo André Perfeito, economista da Gradual Corretora, a expectativa é que o dado seja revisado da expansão de 2,4%, para 1,4%. "Se isso se confirmar, o mercado poderá reagir com pessimismo", disse.

No país, hoje ainda serão divulgados dados sobre o consumo na região e a confiança do consumidor (preliminar). Mas o segundo destaque do dia fica por conta do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke. Há rumores que a autoridade possa anunciar novas medidas de estímulo para a economia da região.

Em meio ao cenário de incertezas, os principais índices acionários da Europa operaram em direções opostas. Há pouco, o índice FTSE-100, de Londres, tinha alta de 0,09% aos 5.160 pontos. O CAC-40, de Paris, recuava 0,05%, aos 3.474 pontos e o DAX, de Frankfurt, perdia 0,04% aos 5.911 pontos.

No continente, foi revelado que o índice de preços das importações na Alemanha avançou 9,9% em julho de 2010, em relação ao mesmo mês do ano anterior. De junho a julho, o índice caiu 0,2%. Este resultado é o mais elevado desde novembro de 2000, quando atingiu 10,6%.

E no Reino Unido, o PIB registrou acréscimo de 1,2% no segundo trimestre deste ano, na comparação com os três meses imediatamente anteriores. Anteriormente, o instituto havia divulgado uma precisão de aumento de 1,1% para o período. Já o índice de atividade do setor de serviços da região recuou 0,5% em junho deste ano, contra o mês anterior. Entretanto, na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve alta de 1,4%.

No mesmo sentido, os índice acionários asiáticos encerraram também sem definir tendência. Em Seul, o índice Kospi caiu 0,01%, para 1.729,56 pontos, enquanto em Xangai, o índice Xangai Composto avançou 0,28%, para 2.610,74 pontos. Em Hong Kong, o índice Hang Seng recuou 0,07%, para 20.597,35 pontos. Já a bolsa de Tóquio fechou com ganhos, com o índice Nikkei 225 subindo e encerrando a sessão aos 0,95%, para 8.991,06 pontos.

Internamente, os agentes estarão de olho na cena externa e atentos a novidades em relação à Petrobras.

(Carina Urbanin - Agência IN)