Ministério inaugura hospital infantil na Bahia

S O PAULO, 27 de agosto de 2010 - O Ministério da Saúde inaugurou ontem em Feira de Santana, na Bahia, o novo Hospital Estadual da Criança deve beneficiar a população de 73 municípios da região do Centro-Norte baiano, de 2,1 milhões de habitantes. O investimento total é de R$ 69,6 milhões em obras e equipamentos - R$ 40,8 milhões do Ministério e R$ 28,8 milhões do governo da Bahia.

O Hospital Estadual da Criança abre com 150 leitos entre estes, 30 de UTI pediátrica e neonatal. A previsão é de que sejam 280 leitos ao final do segundo ano de funcionamento da unidade hospitalar - e 50 leitos de UTI.

A unidade hospitalar, de 16,2 mil metros quadrados, é caracterizada pelo atendimento de alta complexidade e oferecerá 19 especialidades. Entre elas, estão pediatria clínica, pneumologia, anestesiologia, cirurgia vascular, cardiologia pediátrica, oftalmologia e neurologia pediátrica, entre outras. No decorrer do primeiro ano, o hospital ainda deverá começar a atender as especialidades de cirurgia pediátrica, às lactentes e aos cuidados intermediários (tanto pediátrico quanto neonatal).

O Hospital Estadual da Criança insere-se no esforço de redução das desigualdades regionais, uma das prioridades da Presidência da República, e também de descentralização dos serviços de saúde na Bahia. "Com o Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil, enfrentamos desde o ano passado de frente o desafio de reduzir em no mínimo 5% ao ano a mortalidade nos estados do Nordeste e do Norte do país. Feira de Santana é, entre os municípios da Bahia, um dos prioritários nesta ação", ressalta Adson França, Assessor Especial do ministro da Saúde e Coordenador do Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neo-Natal.

"Para isso, demos aos estados e municípios não apenas o apoio técnico necessário, mas recursos financeiros da ordem de R$ 110 milhões. Só para a Bahia foram destinados R$ 10,1 milhões", acrescentou.

Para as obras, o Ministério da Saúde investiu R$ 20 milhões do total de R$ 43,8 milhões gastos na construção do hospital. Já nos equipamentos, foram R$ 20,8 milhões do ministério, dos 25,8 milhões gastos. Na aparelhagem do Hospital Estadual da Criança, destacam-se os investimentos em ventilador pulmonar, incubadoras e monitor de sinais vitais, entre outros.

A expectativa é de que sejam realizados pelo menos 4 mil atendimentos ambulatoriais no primeiro mês de funcionamento do hospital, número que deve crescer para 8 mil e para 13 mil no segundo e terceiro meses, respectivamente. O objetivo é chegar ao final do primeiro ano com mais de 8 mil internações e 48 mil consultas realizadas. O hospital atenderá a população da faixa de zero a 18 anos incompletos.

(Redação - Agência IN)