Mercado imobiliário dos EUA pressiona ainda mais economia

S O PAULO, 8 de setembro de 2010 - A atividade no mercado imobiliário residencial dos Estados Unidos diminuiu ainda mais entre julho e final de agosto. A maioria dos relatórios dos doze distritos regionais do Federal Reserve (Banco Central dos Estados unidos) destaca viés baixista ou claro sinal de queda nas vendas de casas, que muitos atribuíram a uma trégua sustentada após o vencimento do crédito fiscal aos compradores no final de junho, revelou o Livro Bege.

"Algumas áreas, como Nova York e Dallas, observaram que a expiração do crédito fiscal arrefeceu as condições de aquisição de casas, enquanto outros, incluindo Filadélfia, e Kansas City, identificaram a alta na demanda justamente nos dias de término do incentivo como o ponto mais crítico para o setor no curto prazo", afirma a autoridade monetária.

A atividade de construção residencial diminuiu na maioria dos distritos, em resposta à fraca demanda. Cleveland, St. Louis e Minneapolis foram as exceções a este padrão de atividade em declínio, com relatórios indicando que a atividade de construção residencial melhorou levemente após essa data.

Diante desse cenário, os estoques de casas disponíveis aumentaram, em geral, embora a disponibilidade de novas casas em Atlanta tenha ocorrido devido à lentidão do processo de construção de novas residências na região, apontou o Fed.

Por sua vez, os movimentos de preço foram mistos, com a maioria dos distritos relatando estabilidade ou declínio. A instituição diz ainda que em alguns, nomeadamente Boston, Minneapolis e San Francisco, observaram que os preços subiram em algumas áreas, em comparação com o período anterior ou no ano passado. Richmond informou que as recentes vendas de casas foram dominadas por vendas a descoberto e Chicago relatou um aumento na oferta de casas penhoradas para venda.

(SV - Agência IN)