Firjan: venda da indústria do Rio cresce 2,8% em julho

JB Online

RIO - As vendas reais da indústria do Rio de Janeiro cresceram 2,8% em julho na comparação com junho, na série sem efeitos sazonais. Em relação a julho do ano passado, a alta foi de 14,6%, resultando em alta acumulada de 21,7% no acumulado dos primeiros sete meses. É o que mostram os Indicadores Industriais da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), divulgados nesta terça-feira, que mantêm a previsão de fechamento do ano com alta de 15% em relação a 2009.

O número de horas trabalhadas registrou acomodação (pequena alta de 0,4%) na comparação com junho. No entanto, na comparação com o mesmo mês do ano passado, o crescimento foi de 7,8%, indicando expansão do ritmo de produção. No acumulado do ano, a alta é de 9,9%. Ao mesmo tempo, o nível de utilização da capacidade instalada da indústria fluminense, na série livre de efeitos sazonais, bateu novo recorde: 84% contra 83,1% em junho.

Um sinal de manutenção do crescimento foi o 15º crescimento mensal consecutivo em pessoal ocupado (0,6%). Foram 2.400 postos de trabalho formais na indústria em julho, alta de 8% em relação a julho de 2009 e de 6,1% na comparação do acumulado do ano.

Com o aquecimento do mercado de trabalho, a massa salarial teve expansão de 2,7% em relação a junho, de 9,4% na comparação com julho do ano passado e de 7,6% na comparação do acumulado do ano.

Na avaliação da Firjan, o dinamismo da atividade doméstica continuará sendo favorecido pelos efeitos remanescentes dos estímulos fiscais, pelo aumento do volume de empréstimos e pelos ganhos de poder de compra. A aceleração da atividade no resto do mundo, que ainda não tem o mesmo ritmo do Brasil, poderá ser um estimulo adicional.