Expectativa por anúncio de Obama anima negócios

S O PAULO, 8 de setembro de 2010 - Após o feriado da Independência no Brasil (7 de setembro) e um dia de perdas no mercado internacional, em função de temores sobre a economia europeia, os negócios voltam ao normal nesta quarta-feira, em um dia de viés positivo. Rumores apontam que o presidente norte-americano, Barack Obama, poderá anunciar hoje novas medidas de estímulo econômico, no valor total de US$ 300 bilhões, além dos US$ 50 bilhões anunciados na segunda-feira (06).

"Os índices europeus estavam em queda, há pouco inverteram tendência. Ao mesmo tempo, os futuros apontam alta em Wall Street. A expectativa pelo anúncio dos estímulos vem animando o mercado hoje. Já há quase certeza sobre a existência do pacote, entretanto, não se sabe para quando. Sua confirmação no discurso de hoje seria muito bem recebida pelo mercado", disse Mitsuko Kaduoka, analista de investimentos da Indusval Corretora.

Ela acrescentou que ainda hoje será divulgado o Livro Bege, "mas o grande evento do dia é o discurso do Obama", reiterou. Nos Estados Unidos, nesta manhã foi revelado que o número de pedidos hipotecários recuou 1,5% na semana encerrada dia 3 de setembro em relação à semana anterior, em base ajustada. Em base não ajustada, o índice decresceu 1,9%.

Na Europa, o saldo da balança comercial da Alemanha registrou um superávit de ?13,5 bilhões em julho de 2010, exportando ?83 bilhões e importando ?69,5 bilhões. As exportações alemãs cresceram 18,7% e as importações 24,9% no mês. No mesmo período do ano passado, o superávit registrado foi de ?14,3 bilhões. E o índice de produção do Reino Unido referente a julho cresceu 1,9% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto que o índice do setor manufatureiro aumentou 4,9% na comparação com julho de 2009.

No mercado acionário, os principais índices acionários da Europa operaram em alta. Há pouco, o índice FTSE-100, de Londres, avançava de 0,11% aos 5.413 pontos. O CAC-40, de Paris, tinha acréscimo de 0,64%, aos 3.667 pontos e o DAX, de Frankfurt, subia 0,32% aos 6.137 pontos.

Já na Ásia, os índices acionários encerraram com tendência de queda, puxados pela forte valorização do iene frente ao dólar chegando, durante o dia, ao nível mais baixo em 15 anos. Além disso, o cenário internacional vivido ontem refletiu sobre o desempenhos dos índices. Completando notícias desanimadoras, o pregão foi repleto de realizações de lucros por parte dos investidores.

Dessa forma, em Tóquio, o índice Nikkei 225 caiu 2,18%, para 9.024,60 pontos, ao mesmo tempo que em Seul, o índice Kospi perdeu 0,48%, para 1.779,22 pontos. Em Xangai, o índice Xangai Composto recuou 0,11% para 2.695,29, pontos. Já em Hong Kong, o índice Hang Seng avançou 1,46%, para 21.088,86 pontos.

(Carina Urbanin - Agência IN)