Dólar acumula queda de 0,38% na semana

S O PAULO, 27 de agosto de 2010 - A semana se encerra com a desvalorização de 0,51% da moeda norte-americana, cotada a R$ 1,753 para venda. Na semana acumulou queda de 0,38%.

A melhora nos principais ativos globais teve como estímulo o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos que foi revisado para 1,6% no segundo trimestre deste ano. A prévia do indicador tinha sido de 2,4%. A revisão veio melhor do que o esperado por analistas, que estimavam expansão de 1,4%.

Sidnei Moura Nehme, diretor executivo da NGO avalia que o resultado do PIB melhor do que o previsto pelos analistas causa reação positiva nos mercados globais no primeiro momento, porém parece mais um sinal frágil e que não terá a capacidade de sustentar melhora de perspectiva em relação à economia dos Estados Unidos. "É pouco gás para dar suporte à recuperação das bolsas", enfatiza.

Ainda segundo o executivo a questão em torno da capitalização da Petrobras continua prevalecendo no mercado de câmbio brasileiro. Espera-se uma solução a respeito do aporte por parte do governo de sua parcela na capitalização. A Petrobras havia indicado um preço máximo de US$ 6,00 por barril, enquanto o governo desejava US$ 10,00 por barril. Há rumores de que o acordo sairá em torno de US$ 8,00 por barril.

O ambiente prospectivo adverso indica redução nas projeções de investimentos estrangeiros diretos (IED), aumento do déficit de transações correntes, performance não expressiva da balança comercial, etc. Os bancos continuam mantendo e até aumentando, com a participação direta do Banco Central (BC), o montante de suas posições "vendidas", atualmente um pouco acima de US$ 12 bilhões, no mercado à vista.

"Até que se tenha definida a questão Petrobras e sua capitalização, acreditamos que o preço da moeda norte-americana será "administrada" pelos bancos nos níveis atuais", comenta Nehme.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)