CORREÇ O: Clima seco reduz previsão da safra de cana

S O PAULO, 26 de agosto de 2010 - Diferente do informado anteriormente, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) corrigiu a estimativa de moagem de cana divulgada para a região Centro-Sul do País. Em comunicado anterior, a instituição informou erroneamente que a moagem de cana para a safra 2010/2011 era de 573,83 milhões de toneladas. O número correto é 570,19 milhões. Os dados de produção de açúcar e etanol não se alteram. Segue nota corrigida:

A nova projeção para a moagem de cana-de-açúcar para a safra 2010/2011 teve redução de 3,70% em relação ao total estimado em abril de 2010, totalizando 570,19 milhões de toneladas, de acordo com a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica). O clima seco afetou a lavoura e reduziu a disponibilidade de cana para moagem em 47 milhões de toneladas. De acordo com o presidente da instituição, Marcos Jank, esta safra sofre com extremas queimas, ao contrário do início do ano, quando a produção era impactada pelas chuvas.

No entanto, o diretor técnico da Unica, Antonio de Pádua Rodrigues, alerta contudo que "essa moagem representa na prática uma quebra em torno de 7% em relação ao volume total de cana no campo no início da safra, que estava entre 610 e 620 milhões de toneladas".

Segundo a Unica, desde abril deste ano, as chuvas nas principais regiões produtoras ficaram significativamente abaixo da média histórica. Em algumas áreas o cenário é extremo: em Ribeirão Preto, por exemplo, o volume de chuvas observado durante os meses de maio a junho é o terceiro menor dos últimos 20 anos.

Apesar do tempo árido, o clima permitiu elevar a concentração de açúcares na planta, devido à pouca absorção de água. "Até 15 de agosto de 2010, a quantidade ATR [Açúcares Totais Recuperáveis] por tonelada de cana ficou 4,42% superior ao valor observado no mesmo período de 2009 (129,80 kg de ATR/tonelada de cana no ano passado contra 135,54 kg de ATR neste ano)", aponta a instituição.

(Sérgio Vieira - Agência IN)