Comércio contribui com 93% das aquisições de Rondônia

S O PAULO, 8 de setembro de 2010 - Em Rondônia, a atividade comercial contribui com 93% (R$ 578,71 milhões) do total (R$ 620,6 milhões) das aquisições desse Estado. Os principais produtos adquiridos entre janeiro e julho foram: óleo de soja; preparações tensoativas para lavagem e limpeza; açúcar de cana; bolachas e biscoitos adicionados de edulcorantes; outros chocolates e preparações alimentícias; outros fios de ferro e aço ligados e galvanizados; fraldas de papel e farinha de trigo.

No Estado do Amapá que representa 6% (R$ 1 bilhão) das compras nacionais da região, nesse período, destaca-se o setor comercial, representando 93% (R$ 934,218 milhões) do total das aquisições. O Município de Macapá lidera as compras de mercadorias em 94% (R$ 950,795 milhões) seguido de Santana 6% (R$ 58,939 milhões). Os principais produtos adquiridos foram: assentos estofados com armação de madeira; frangos cortadas em pedaços e congelados; leite em pó integral; enchidos de carne, miudezas, preparados de alimentos; outros veículos automóveis com motor diesel, para carga de 5 toneladas; outros veículos automóveis com motor explosão e óleo de soja refinado.

A atividade comercial do Estado do Acre lidera as compras em 89% (R$ 143,165 milhões). O município de Rio Branco adquiriu 62% do total dessas compras, no período, seguido de Epitaciolândia 9%. Os principais produtos adquiridos pelo Estado foram: veículos com motor diesel para carga; cimento; açúcar; óleo de soja; barras de ferro, aço, laminados quentes, dentados; leite; telefones celulares e outras preparações para elaboração de bebidas.

O Estado de Roraima adquiriu, no período analisado, produtos que somaram R$ 6,2 milhões. A cidade de Boa Vista efetivou 99,6% dessas compras, onde a atividade comercial representa 96% do total das compras do Estado. Os principais produtos adquiridos nesse período foram: medicamentos; pedaços e miudezas de frangos congelados; enchidos de carne, miudezas, sangue e suas preparações alimentícias; chocolates e preparações alimentícias de cacau; leite; carnes de galos e galinhas em pedaços congelados; chocolate não recheado em tabletes, barras e paus; preparações químicas contraceptivas de hormônios, espermicidas; alimentos compostos completos para animais, motocicletas, entre outros.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira pela Coordenação Geral de Acompanhamento de Assuntos Econômicos e Empresariais (Cogec), da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

(Redação - Agência IN)