Saldo do emprego bancário é favorável às mulheres

S O PAULO, 18 de agosto de 2010 - Na desagregação por gênero, a Pesquisa de Emprego Bancário (PEB) realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostra que o saldo do emprego bancário no primeiro semestre de 2010 é favorável às mulheres.

Dos 9.048 novos postos de trabalho, 4.895 foram ocupados por bancárias e 4.152 por bancários. Percentualmente, os homens representaram 50,02% das admissões e 52,07% dos desligamentos, enquanto a participação feminina correspondeu, respectivamente, a 49,98% das admissões e 47,93% dos desligamentos.

No entanto, a remuneração média das mulheres bancárias é inferior à dos homens, tanto nas admissões como nos desligamentos. As trabalhadoras desligadas saíram do banco com rendimento médio de R$ 2.923,82, valor 28,52% inferior ao auferido pelos homens, de R$ 4.090,26.

Já a mão-de-obra feminina admitida entra no banco recebendo uma remuneração média de R$ 1.800,98, enquanto os admitidos do sexo masculino recebem o equivalente a R$ 2.574,23, correspondendo a uma diferença de 30,04%. Nas contratações realizadas no primeiro semestre de 2010 houve, portanto, aumento da distância entre salários médios masculinos e femininos.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)