Ministério pode suspender peixe do Vietnã

S O PAULO, 9 de agosto de 2010 - O Ministério da Pesca e Aquicultura vai iniciar uma análise de risco para apurar algumas denúncias de contaminação em relação ao peixe Pangasius cf. hypophthalmus, conhecido como panga, que começou a ser importado este ano do Vietnã. Segundo o secretário de Monitoramento e Controle do ministério, Eloy de Sousa, foi encaminhado ao Ministério da Agricultura pedido de suspensão da licença de importação do produto até que seja concluída a análise.

"Vamos fazer a análise de acordo com critérios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal", afirmou ele, após reunião de mais de três horas entre representantes do setor pesqueiro e o ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin, para debater o assunto.

Segundo o presidente do Conselho Nacional de Pesca e Aquicultura (Conepe), Fernando Ferreira, há indícios de que o produto vendido ao Brasil tenha teor acima do permitido de um antibiótico que aumenta a retenção de água na carne do peixe, além de clareá-la, o que facilita sua comercialização no supermercado. "São peixes com alto risco de contaminação", afirmou.

Somente no primeiro semestre deste ano, foram importadas 3,3 mil toneladas do panga, no valor de US$ 6,6 milhões. Além do risco à saúde que ainda será analisado, produtores nacionais reclamam que o preço do produto está abaixo do valor de custo de alguns similares brasileiros, como o mapará, da Amazônia, e a tilápia.

Enquanto o preço do panga importado é de R$ 3,50 o quilo, os similares nacionais saem por cerca de R$ 7. Essa diferença tem sido colocada pelo setor como a causa de mais de 3 mil demissões na indústria de peixe de Santa Catarina e cerca de 2 mil na Região Norte.

"É o caos no mercado interno brasileiro", afirmou Ferreira. Segundo ele, várias empresas estão com estoques parados devido à importação desordenada do peixe vietnamita. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)