Inadimplência do consumidor recua 0,5% em junho

S O PAULO, 16 de agosto de 2010 - O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor recuou 0,5% em junho de 2010, atingindo o patamar de 96,2. Foi a segunda queda mensal consecutiva (o dado de maio/10 foi revisado para queda de 0,2%) após uma seqüência ininterrupta de seis meses de elevações, entre novembro/09 e abril/10.

Como o indicador possui a propriedade de antever, num horizonte médio de seis meses, as oscilações cíclicas da inadimplência, a interrupção desta seqüência de altas sinaliza que o crescimento dos níveis de inadimplemento das pessoas físicas - já detectado desde maio/10 pelo Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor - tenderá a ser modesto, não devendo impor graves restrições à evolução prospectiva do crédito ao consumidor.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o crescimento acelerado do endividamento dos consumidores ao longo dos últimos trimestres, acima da expansão da massa de rendimentos, e o atual ciclo de aperto monetário (elevações da taxa Selic), aumentando o comprometimento de renda do cidadão com pagamentos de juros e amortizações, estão contribuindo para a elevação dos níveis de inadimplência dos consumidores. Entretanto, o fato do Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor estar oscilando abaixo do nível 100 significa que, apesar deste ajustamento de elevação, a inadimplência do consumidor não deverá registrar níveis mais críticos, a exemplo do que ocorreu em 2005 ou, mais recentemente, entre final de 2008 e início de 2009, em função dos reflexos da crise financeira internacional sobre a economia brasileira à época.

Portanto, tal configuração da inadimplência do consumidor não será aguda o bastante para reverter a atual trajetória de crescimento do crédito às pessoas físicas, embora deva fazer com que esta evolução ocorra de forma mais moderada.

(MLC - Agência IN)