Demanda elevada contribui para alta do açúcar em São Paulo

SÃO PAULO, 8 de setembro de 2010 - Mais uma vez, frustram-se aqueles que esperavam ao menos um arrefecimento dos preços do açúcar no estado de São Paulo neste início de mês devido à necessidade de caixa de usinas para o pagamento de salários. De fato, levantamentos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) não identificam grande liquidez no mercado paulista de açúcar, mas a demanda, ainda que moderada, se sobressai - quem precisa da commodity acaba pagando valores reajustados.

Análises de mercado já começam a destacar a possibilidade de quebra da safra mundial corrente comparativamente às previsões iniciais, o que vem sugerindo que a oferta cresça menos do que a demanda. Os preços firmes do etanol no mercado paulista também têm estimulado a produção desse combustível por ter maior liquidez. Para usinas brasileiras, o ritmo mais acelerado dos embarques de açúcar e as cotações favoráveis à exportação contribuem para o alívio de caixa e as torna mais firmes em suas ofertas de venda.

Em São Paulo, após aumento de 14,6% em agosto, o Indicador do Açúcar Cristal CEPEA/ESALQ já acumula alta de 2,3% em apenas três dias deste mês, fechando a R$ 50,54/saca de 50 kg na última sexta.

(Redação - Agência IN)