Brasil será convidado especial de cúpula da ONU

S O PAULO, 17 de agosto de 2010 - O Brasil será convidado especial na Cúpula de Avaliação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que será promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU) entre 20 e 22 de setembro, em Nova York. A informação é do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, que participou hoje do 7º Seminário Nacional Nós Podemos, promovido pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

As oito metas dos Objetivos do Milênio, que precisam ser cumpridas até 2015, são a erradicação da pobreza, o ensino básico universal, a igualdade entre os gêneros, a redução da mortalidade infantil, a melhoria da saúde materna, o combate ao HIV/Aids, malária e outras doenças, a garantia da sustentabilidade ambiental e uma parceria mundial pelo desenvolvimento.

Segundo o ministro, apesar de o país ainda não ter cumprido integralmente as metas, sua ação já é considerada um exemplo mundial. "O Brasil é um exemplo de país em que o Estado tem feito esforços relevantes para atingir as metas e que procura atuar em parceria com a sociedade, empresários e entidades civis para superar seus problemas", disse.

Dulci destacou a importância dos ODMs como impulsionadores das políticas sociais e a relevância das empresas públicas investirem em responsabilidade social e ambiental. "As metas da ONU nos estimularam a fazer uma reestruturação no Brasil. Sem perder a lucratividade econômica, a Caixa Econômia e o Banco do Brasil multiplicaram por 10, 15 , 20 vezes a sua inserção social na vida brasileira", disse o ministro.

Para a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, o avanço do Brasil no cumprimento das metas deve-se à articulação entre as diversas instituições, que tem ocorrido nos últimos anos.

"Uma parceria entre a Caixa e o Ministério da Educação permitiu a contratação de cerca de 2.000 estagiários egressos do ProUni [Programa Universidade para Todos]. Estamos investindo também na saúde infantil, por meio de obras de saneamento. Dos R$ 43 milhões previstos para o Programa de Aceleração do Crescimento 2 [PAC 2], R$ 40 milhões já foram contratados", informou Maria Fernanda.

A presidente da Caixa Econômica informou ainda que, recentemente, a instituição lançou um edital público, em parceria com o Banco do Brasil, a Agência Brasileira de Cooperação e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para geração de renda e inclusão social, direcionado a todas as regiões do país. Para a iniciativa serão disponibilizados R$ 2 milhões. A ação tem como um dos focos principais os catadores de lixo. O resultado será divulgado nos próximos dias. As informações são da Agênica Brasil.

(Sergio Vieira - Agência IN)