Brasil registra maior índice de cheques honrados

S O PAULO, 17 de agosto de 2010 - O índice de cheques honrados no Brasil atingiu o maior patamar desde o início do ano, segundo a última pesquisa divulgada pela TeleCheque, empresa especializada em verificação de crédito em compras com cheques. Do total de cheques emitidos no mês de julho, 97,63% foram honrados, o que equivale a um crescimento de 0,12% frente ao mês de junho e ao mesmo período no ano anterior (que marcava 97,51%). Esses números representam uma queda de 4,82% na inadimplência do país.

"O momento econômico do Brasil é muito favorável as compras, já que tivemos uma forte recuperação de renda e de emprego. Aliado a isso, o consumidor também está mais consciente e responsável no consumo a prazo", explica José Antonio Praxedes Neto, presidente da TeleCheque.

De acordo com a TeleCheque, a tendência é de que a inadimplência continue caindo nos próximos meses, pois os consumidores devem concentrar seu esforços para não perderem o crédito na praça. "Esse crescimento no índice de bons pagadores reflete o amadurecimento da população brasileira em função dos muitos endividamentos já enfrentados em nosso país. Agora, o momento é de poupar e comprar adequadamente, aproveitando as vantagens que o cheque proporciona ao lojista e cliente, com prazos mais flexíveis e juros menores", completa Praxedes.

Entre os Estados, Mato Grosso apresentou a melhor performance. Na comparação com junho de 2009, a pesquisa apurou uma diminuição da inadimplência com cheques no Estado de 48,74%. Com isso, os matogrossenses, pelo segundo mês consecutivo, se mantiveram no topo da lista com 98,78% de cheques honrados. Na sequência, ficaram São Paulo Interior (98,70%), Goiás (98,58%) e Sergipe (98,47%). Na tabela dos bons pagadores por segmento, os melhores foram Postos de Combustíveis e Móveis e Decoração (98,60% ambos), Ensino (97,91%), Saúde (97,88%) e Vestuário (97,86%).

Os critérios de pesquisa da TeleCheque levam em conta os valores em reais das transações com cheques - e não a quantidade de folhas de cheques emitidas - metodologia considerada mais adequada à realidade e às necessidades do varejo.

(Redação - Agência IN)