Brasil estuda modelo de TV digital com a Venezuela

S O PAULO, 4 de agosto de 2010 - A experiência brasileira com o padrão de TV Digital vai começar a virar realidade na Venezuela. Depois da adesão oficial ao Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial

(ISDB-T), agora, um plano de trabalho foi traçado em dois dias de reunião entre representantes dos governos brasileiro e venezuelano para permitir o uso eficiente do espectro e formar técnicos especializados que possam implantar a tecnologia em terras vizinhas.

Do lado brasileiro, os responsáveis pelos trabalhos foram o secretário de Telecomunicações do MC, Roberto Pinto Martins, e o assessor da Secretaria e coordenador da Comissão Técnica Bilateral para Cooperação em TV Digital, Flávio Lenz Cesar. Já pelo lado venezuelano a coordenação da Comissão ficou com Freddy Brito, do Centro Nacional de Desenvolvimento e Pesquisa em Telecomunicações (Cendit). O vice-ministro de Tecnologias de Informação e Comunicação, Manuel Fernández, também representa a Venezuela no grupo.

O plano traz sete frentes de trabalho. Os técnicos brasileiros vão cooperar com os venezuelanos no que diz respeito à transmissão de sinais em alta definição, à especificação dos receptores e à adoção dos mecanismos de interatividade. Além disso, o programa organizado pelos dois governos traz estratégias quanto à capacitação da indústria na Venezuela e à formulação de políticas públicas de inclusão social. O uso do espectro e a elaboração de um marco legal para a nova tecnologia também fazem parte do planejamento estabelecido.

Para tirar o plano do papel, técnicos venezuelanos vão participar de um treinamento na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A troca de experiências continua com a realização de um seminário de capacitação, organizado pelo ministério das Comunicações com o apoio da Agência Brasileira de Cooperação, que levará especialistas do Fórum Brasileiro de TV Digital à Venezuela. "O plano de trabalho discutido com os venezuelanos define a forma como serão implementadas as ações de cooperação previstas no memorando de entendimento assinado pelos dois países. O Brasil dá todo o apoio técnico necessário às nações que adotam o ISDB-T", explicou o assessor da Secretaria de Telecomunicações, Flávio Lenz.

A Venezuela tem quatro redes públicas e três emissoras privadas de TV. Além dos radiodifusores públicos, participaram da reunião representantes de órgãos do governo venezuelano, como o Ministério do Poder Popular para a Ciência e Tecnologia e a Comissão Nacional de Comunicações (Contel).

(Redação - Agência IN)