Bolsas europeias fecham sem direção definida

S O PAULO, 4 de agosto de 2010 - Em dia de indicadores e balanços corporativos positivos, os principais índices acionários europeus encerraram a quarta-feira em tendências opostas.

Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, recuou 0,19%, aos 5.386 pontos. O CAC-40, de Paris, por sua vez, subiu 0,23%, aos 3.760 pontos. O DAX, de Frankfurt, teve valorização de 0,37% aos 6.331 pontos.

Os agentes acompanharam a divulgação de indicadores econômicos do velho continente, como o Índice dos gerentes de compras(PMI, sigla em inglês) do setor de serviços, referente a julho da zona do euro que cresceu para 55,8 pontos, frente alta de 55,5 pontos de junho.

Já o volume de vendas no varejo na região permaneceu estável em junho de 2010, quando comparado com o mês anterior. Em maio, o indicador subiu 0,4%.

Para completar o quadro de notícias positivas, o Índice dos gerentes de compras(PMI) do setor de serviços, referente a julho do Reino Unido cresceu para 53,1 pontos, porém a alta foi menor do que a registrada em junho, que foi de 54,4 pontos. O mesmo indicador, só que na Alemanha, cresceu para 56,5 pontos, ante alta de 54,8 pontos de junho.

No cenário corporativo, o destaque ficou por conta dos balanços do setor financeiro. O banco francês Société Générale reportou lucro líquido atribuível à companhia de ? 1,084 bilhão no segundo trimestre de 2010, ante ? 309 milhões registrados em igual época do ano passado, alta de 250%. "Os resultados vieram fortes e geraram otimismo no mercado", afirmou Bruno Lembi, economista da M2 Investimentos.

(Humberto Domiciano - Agência IN)