Bolsas de valores não definem tendência na sessão

S O PAULO, 4 de agosto de 2010 - A cautela chegou a cercar os negócios na primeira etapa do dia, mas a ponta compradora prevaleceu nas principais bolsas de valores mundiais.

Na Europa, as índices acionários terminaram em direções opostas, apesar de indicadores econômicos positivos nos Estados Unidos e de balanços corporativos bons. O índice FTSE-100, de Londres, recuou 0,19%, aos 5.386 pontos. O CAC-40, de Paris, por sua vez, subiu 0,23%, aos 3.760 pontos. O DAX, de Frankfurt, teve valorização de 0,37% aos 6.331 pontos.

Em Wall Street, as bolsas registraram leve valorização, com os investidores repercutindo os dados da economia do país, que superaram as estimativas dos analistas. Ao final dos negócios, em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average subiu 0,41%, aos 10.680 pontos. O S&P 500 ganhou 0,61%, aos 1.127 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq avançou 0,88%, aos 2.303 pontos. Dentre os números, vale ressaltar que o setor privado norte-americano abriu 42 mil vagas em julho deste ano contra o mês anterior. Os analistas estimavam criação de 25 mil postos de trabalho. O indicador funciona como uma prévia do payroll, que será divulgado na sexta-feira.

Na Argentina, o Índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, apresentou expansão de 0,60%, aos 2.455 pontos.

E no Brasil, o Ibovespa marcou acréscimo de 0,40%, aos 68.272 pontos, ancorado pelo bom comportamento das ações preferenciais da Petrobras, além da melhora do humor externo. O giro financeiro da bolsa totalizou R$ 6,137 bilhões.

Ainda internamente, na renda fixa, a curva de juros futuros fechou em alta na BM&FBovespa, com os agentes aguardando o resultado do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho, previsto para a última sessão da semana. Com isso, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 apontou taxa anual de 10,82%. No câmbio, o dólar comercial caiu e acabou vendido a R$ 1,758.

E por último, nas commodities, os preços do petróleo no mercado internacional recuaram refletindo o avanço inesperado dos estoques de gasolina nos Estados Unidos. O barril de petróleo do tipo WTI, com vencimento em setembro, caiu 0,14% para US$ 82,43 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). E o barril do tipo Brent, com vencimento em setembro, recuou 0,6% cotado a US$ 82,16 no ICE Exchange de Londres.

(Redação - Agência IN)