Bolsas de valores mundiais avançam

S O PAUL, 16 de agosto de 2010 - Apesar da divulgação de indicadores ruins no Japão e nos Estados Unidos, prevalece o movimento comprador entre os principais índices acionários do mundo.

Hoje foi revelado que a economia japonesa registrou crescimento de 0,1% no segundo trimestre deste ano, ante os três meses anteriores, quando houve alta de 1,1%. O dado veio pior do que o esperado pelo mercado.

No mesmo sentido, o índice que mede a atividade da indústria na região de Nova York avançou para 7,1 pontos em agosto deste ano. Analistas esperavam leitura de 8,3 pontos. E a confiança do mercado de construção civil norte-americano recuou para 13 pontos em agosto. Este é o menor valor desde março de 2009.

No entanto, os investidores parecem ignorar os dados negativos. Nos Estados Unidos, os principais índices acionários registram ganhos tímidos. E na Europa, as bolsas fecharam sem definir tendência. Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, avançou 0,01%, aos 5.276 pontos. Já o CAC-40, de Paris teve desvalorização de 0,37%, aos 3.597 pontos e o DAX, de Frankfurt, fechou estável aos 6.110 pontos.

Por aqui, também prevalece o otimismo, instantes atrás o Ibovespa avançava mais de 0,50%. As ações preferenciais da TAM são o destaque de alta, enquanto as da GOL estão entre as maiores quedas.

Ainda internamente, estão no foco os resultados trimestrais das empresas. O Banco do Brasil anunciou lucro líquido de R$ 2,7 bilhões no segundo trimestre deste ano, com expansão de 16% na comparação com o mesmo período do ano passado.

E o boletim Focus, do Bbanco Central, apontou retração de 7,12%, para 7,09% na projeção de alta do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano.

Na renda fixa, os juros futuros se ajustam para baixo. Há pouco, o Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 apontava taxa anual de 10,76%. E no câmbio, o dólar comercial fechou a primeira etapa dos negócios em queda, vendido a R$ 1,75.

(Redação - Agência IN)