Banif prevê deslocamento da atenção da Europa para os EUA

S O PAULO, 4 de agosto de 2010 - Para agosto, haverá um deslocamento do foco das atenções nos mercados financeiros da zona do euro para os Estados Unidos, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira pela Banif Corretora.

"Nós também esperamos que a China não tenha influência significativa no desempenho do mercado este mês. Os resultados do teste de estress dos bancos divulgados em julho parecem ter acalmado o mercado, dissipando o receio de falências. Isto não significa que os problemas terminaram, mas dá a impressão de que eles estão sob controle após os ajustes implementados até aqui", afirma o relatório da instituição.

Por outro lado, diminui a esperança de um impulso na economia norte-americana após o pronunciamento do presidente do Federal Reserve (Fed, Banco Central dos EUA) ao final do mês. Por este motivo, a Banif acredita que a motivação do mercado virá, provavelmente, da divulgação dos dados sobre atividade econômica, dando uma ideia mais clara da tendência. "Porém, como não prevemos que a publicação de algum dado relevante em agosto venha a mudar as expectativas, o mercado, a nosso ver provavelmente andará de lado", avalia.

Com relação às recomendações para o mês, como a instituição não tem em vista um catalisador decisivo para agosto, suficiente para impulsionar o mercado, decidiu por manter a postura defensiva e não fazer grandes alterações na carteira recomendada. "Reduzimos os pesos do Bradesco e da Hering devido à recente performance espetacular destes papéis, de 10% para 5% em ambos os casos, e substituímos Tietê por Eletropaulo com o mesmo peso, e adicionamos a Telesp".

No dia 10 de agosto, os holofotes se voltam para a reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), buscando ver se alguma política monetária pode ser modificada, "mas com as taxas de juros já próximas a zero, provavelmente pouca coisa pode ser feita neste front", adianta. O monitoramento do mercado de trabalho (desemprego e massa salarial) é possivelmente a maior esperança para quem busca melhoras na atividade econômica. As últimas indicações para a desaceleração da economia norte-americana apontam para um crescimento do PIB de 2,5% em 2010, dos 2,7% projetados anteriormente.

No Brasil, no dia 17 de agosto, os candidatos à presidência irão dar início às suas campanhas na TV. "Embora as campanhas já estejam na rua há algum tempo, muitos vêem a TV como o elemento mais importante e decisivo, de forma que as pesquisas de intenção de voto deverão passar a ser acompanhadas de perto, influenciando o mercado", complementa a Banif.

Outra potencial fonte de stress é o término previsto para agosto do período de inflação baixa (os dois últimos meses, em função dos preços dos alimentos). A Banif acredita que embora tenham projetado inflação em torno de 0,4% por mês até dezembro, uma retomada da inflação pode ser percebida negativamente.

(SV - Agência IN)